Quinta-feira, 12 de Outubro de 2006

Scolari e o fatalismo português (não é português mas é "quase")

Ontem a noticia do dia era que Scolari ( o mais recente Vasco da Gama português [não é português, mas é quase] ) tinha dito que se gánhassemos todos os jogos em casa e empatássemos os jogos fora de casa teriamos pontos sugficientes para nos qualificarmos para o Euro 2008 de futebol. Quanto a vocês não sei, mas para mim foi a afirmação mais portuguesa que este senhor teve desde que chegou a Portugal. Parece-me então que está na altura de mudarmos de heroi nacional, mais conhecido por seleccionador nacional (um cargo de extrema responsabilidade por estas bandas) já que o actual entra finalmente no ritmo do (lema da nossa historia) "Faltou um bocadinho assim". Se me pedissem para definir o meu país numa palavra eu diria "quase". Quase é o mote em Portugal, não a palavra de ordem, mas a ordem das coisas. Não ganhámos mas quase empatámos, até porque os nossos oblectivos nunca são os do topo da tabela, são os segundos lugares. Os nossos objectivos ficam-se sempre pelo "rés vés Campo de ourique". Se nos basta empatar, nós não queremos ganharm queremos empatar e se o jogo em vez de 90 minutos tivesse 95, seria perfeito porque em tudo estamos a 5 minutos de atingir, assim ficamos-nos sempre pelo "quase"... Quase que cheguei a horas, quase que estava feito, foi por uma unha negra, mas o que é isto de uma unha negra? O Bom Português, a lembrar o bom selvagem de Rousseau, é também o homem bom no seu estado natural, mas ao invés de ser corrompido pela sociedade, vive numa sociedade corrompida. Isto, não sei porquê, faz-me pensar que vivemos numa sociedade esquizofrénica que se vê a si própria, enquanto sociedade, em conspiração contra si própria enquanto individuo. Parece-me que o Senhor de barbas (Zé Povinho) vive num romance politico-policial em que tudo o que o rodeia existe para o prejudicar ficando-se pois pelo "quase". Quase conceguiu, aliás conseguia se não fosse tudo o que o rodeia existir precisamente para o prejudicar, assim ficou-se pelo quase, mas se fosse justo teria conseguido. Comecei este blog com este assunto de "extrema importância" para o orgulho português (?) apenas para atrair publico, assumo. Assim, se as visitas ao blog forem como os jornais portugueses, teria mais hipóteses de tornar este blog um exito começando pelo assunto que mais mobiliza Portugal.
música: A casa da mariquinhas - Amália Rodrigues
tags:
publicado por portugal-portugues às 11:14
link do post | comentar | favorito
1 comentário:
De mulher da noite a 12 de Outubro de 2006 às 16:18
é um post espigadote, sim senhor! ;)

Comentar post

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Outubro 2006

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

.posts recentes

. e o "Zé" acena...

. Foto de incentivo às ment...

. Scolari e o fatalismo por...

. Scolari e o fatalismo por...

.arquivos

. Outubro 2006

.tags

. todas as tags

blogs SAPO

.subscrever feeds